castelos medievais

castelos medievais

sábado, 30 de abril de 2011

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: CONFORME CENSO 2010 SE O MUNICÍPIO DE EXTREMA DE RONDÔNIA FOSSE INSTALADO HOJE, TERIA UMA POPULAÇÃO DE 14.392 HAB.

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: CONFORME CENSO 2010 SE O MUNICÍPIO DE EXTREMA DE RONDÔNIA FOSSE INSTALADO HOJE, TERIA UMA POPULAÇÃO DE 14.392 HAB.

CONFORME CENSO 2010 SE O MUNICÍPIO DE EXTREMA DE RONDÔNIA FOSSE INSTALADO HOJE, TERIA UMA POPULAÇÃO DE 14.392 HAB.

Se o município de EXTREMA DE RONDÔNIA fosse criado nesse ano teria uma população de 14.392 hab na sua área total, incluidos os distritos de Fortaleza do Abunã, Extream, Vista Alegre do Abunã e Nova Califórnia.

VEJA O RESULTADO DO CENSO 2010 NOS QUATRO DISTRITOS QUE FORMAM A PONTA DO ABUNÃ (No primeiro parentêses a população total do distrito e no segundo parênteses a população urbana do distrito):

EXTREMA (6.176 HAB.) (4.386 HAB.)
FORTALEZA DO ABUNÃ (450 HAB.) (316 HAB.)
NOVA CALIFÓRNIA (3.631 HAB.) (2.521 HAB.)
VISTA ALEGRE DO ABUNÃ (4.125 HAB.) (3.686 HAB.)

Sozinho somente o distrito de EXTREMA já poderia se emancipar se a regra dos 5.000 hab. valesse para a região Norte.

O que surpreendeu foi o crescimento de Jaci Paraná que possui uma população total de 13.131 hab. no total e 6.153 hab. na área urbana.
Outro distrito que surpreendeu no crescimento foi o distrito de Nova Dimensão em Nova Mamoré, com uma população total de 5.782 hab e 2.863 hab. na área urbana.

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: RESULTADO DO CENSO 2010 NO AMAPÁ POR MUNICÍPIO E DISTRITO

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: RESULTADO DO CENSO 2010 NO AMAPÁ POR MUNICÍPIO E DISTRITO

RESULTADO DO CENSO 2010 NO AMAPÁ POR MUNICÍPIO E DISTRITO

Amapá (8.069 hab.) (6.959 hab.) (9 175,9 km²)
Amapá (7.130 hab.) (6.934 hab.)
Sucuriju (939 hab.) (565 hab.)
Calçoene (9.000 hab.) (7.307 hab.) (14.269,3 km²)
Calçoene (6.194 hab.) (5.637 hab.)
Cunani (940 hab.) (44 hab.)
Lourenço (1.866 hab.) (1.626 hab.)
Cutias (4.696 hab.) (2.442) (2.114,2 km²)

Ferreira Gomes (5.802 hab.) (4.175 hab.) (5.046,2 km²)

Itaubal (4.265 hab.) (1.754) (1.704,0km²)

Laranjal do Jari (39.942 hab.) (37.904 hab.) (30 971,8 km²)

Macapá (398.204 hab.) (381.214 hab.) (6.408,5 km²)

Bailique (7.618 hab.) (1.482 hab.)
Carapanantuba (726 hab.) (190 hab.)
Fazendinha (9.226 hab.) (9.226 hab.)
Macapá (376.127 hab.) (369.519 hab.)
São Joaquim do Pacuí (4.507 hab.) (797 hab.)

Mazagão (17.032 hab.) (8.272 hab.) (13 130,9 km²)

Carvão (1.097 hab.) (583 hab.)
Mazagão (8.337 hab.) (6.866 hab.)
Mazagão Velho (7.598 hab.) (823 hab.)

Oiapoque (20.509 hab.) (13.852 hab.) (22.625,1 km²)

Clevelândia do Norte (1.253 hab.) (656 hab.)
Oiapoque (16.533 hab.) (12.970 hab.)
Vila Velha (2.723 hab.) (226 hab.)

Pedra Branca do Amapari (10.772 hab.) (5.963 hab.) (9.495,5 km²)

Porto Grande (16.809 hab.) (10.809 hab.) (4.401,8 km²)

Pracuúba (3.793 hab.) (1.881 hab.) (4.956,5 km²)

Santana (101.262 hab.) (99.111) (1.579,6 km²)

Anauerapucu (998 hab.) (660 hab.)
Igarapé do Lago (651 hab.) (258 hab.)
Ilha de Santana (2.689 hab.) (2.163 hab.)
Piaçacá (438 hab.) (36 Hab.)
Pirativa (591 hab.) (99 hab.)
Santana (95.895 hab.) (95.895 hab.)

Serra do Navio (4.380 hab.) (2.575 hab.) ( 7.756,1 km²)

Cachaço (922 hab.) (705 hab.)
Serra do Navio (3.458 hab.) (1.870 hab.)

Tartarugalzinho (12.563 hab.) (6.516 hab.) (6 709,6 km²)

Vitória do Jari (12.428 hab.) (10.302 hab.) (2 482,9 km²)


Dentro dos parênteses aparecem em negrito a população total do município e a população urbana de cada um deles, incluindo a população dos distritos. Logo abaixo aparecem os distritos de cada município (se estes os tiverem) e dentro do primeiro parênteses a população total do distrito e no segundo parênteses a população urbana de cada um deles).

quinta-feira, 28 de abril de 2011

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: MESA DIRETORA DEFINE PROJETO COM CRITÉRIOS PARA CRIAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS NO MARANHÃO

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: MESA DIRETORA DEFINE PROJETO COM CRITÉRIOS PARA CRIAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS NO MARANHÃO

MESA DIRETORA DEFINE PROJETO COM CRITÉRIOS PARA CRIAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS NO MARANHÃO

(19h50) – A Mesa Diretora da Assembleia definiu nesta quarta-feira o projeto que estabelece critérios para a criação de municípios no Maranhão.

Pela proposta, que ainda deverá ser aprovada pela Casa, os povoados que pretendem se emancipar terão de apresentar um estudo de viabilidade onde será levado em conta a população, o número de eleitores, de imóveis, viabilidade econômico-financeira, político-administrativa, entre outros.

Hoje a criação dos municípios está sob responsabilidade da Câmara dos Deputados, que vem sendo pressionada a repassar a questão às Assembleias Legislativas. Leia em primeira mão a íntegra do projeto de resolução.

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº /2011

Regulamenta as competências da Assembleia Legislativa no que tange aos estudos de viabilidade municipal para a criação de municípios no Estado do Maranhão e adota outras providências.
Art. 1º. A criação de novos municípios far-se-á por lei estadual, mediante requerimento subscrito por, no mínimo, 10% (dez por cento) dos eleitores residentes na área geográfica que se pretenda emancipar para originar o novo Município, dirigido à Assembléia Legislativa.

Art. 2º. Recebido o requerimento, a Assembléia Legislativa, após verificada a sua regularidade, providenciará a elaboração, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias, do Estudo de Viabilidade do Município a ser criado e da área remanescente do Município pré-existente.

Art. 3º. O Estudo de Viabilidade Municipal tem por finalidade o exame e a comprovação da existência das condições que permitam a consolidação e desenvolvimento dos Municípios envolvidos, e deverá comprovar, preliminarmente, em relação ao Município a ser criado, se foram atendidos os seguintes requisitos:

I – população igual ou superior a 6.000 (oito mil) habitantes;

II – eleitorado igual ou superior a 50% (cinqüenta por cento) de sua população;

III – existência de núcleo urbano já constituído, dotado de infra-estrutura, edificações e equipamentos compatíveis com a condição de Município;

IV – número de imóveis, na sede do aglomerado urbano que sediará o novo Município, superior à média de imóveis de 10% (dez por cento) dos Municípios do Estado, considerados em ordem decrescente os de menor população;

V – arrecadação estimada superior à média de 10% (dez por cento) dos Municípios do Estado, considerados em ordem decrescente os de menor população;

VI – área urbana não situada em reserva indígena, área de preservação ambiental ou área pertencente à União, suas autarquias e fundações;

VII – continuidade territorial.

§ 1º Atendidos os requisitos estabelecidos no caput, dar-se-á prosseguimento ao Estudo de Viabilidade Municipal que deverá abordar os seguintes aspectos:

I – viabilidade econômico-financeira;

II – viabilidade político-administrativa;

III – viabilidade sócio-ambiental e urbana.

§ 2º A viabilidade econômico-financeira deverá ser demonstrada a partir das seguintes informações:

I – receita fiscal, atestada pelo órgão fazendário estadual, com base na arrecadação do ano anterior ao da realização do estudo e considerando apenas os agentes econômicos já instalados;

II – receitas provenientes de transferências federais e estaduais, com base nas transferências do ano anterior ao da realização do estudo, atestadas pela Secretaria do Tesouro Nacional e pelo órgão fazendário estadual, respectivamente;

III – estimativa das despesas com pessoal, custeio e investimento, assim como com a prestação dos serviços públicos de interesse local, especialmente a parcela dos serviços de educação e saúde a cargo dos Municípios envolvidos;

IV – indicação, diante das estimativas de receitas e despesas, da possibilidade do cumprimento dos dispositivos da Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000.

§ 3º A viabilidade político-administrativa deverá ser demonstrada a partir do levantamento da quantidade de funcionários, bens imóveis, instalações, veículos e equipamentos necessários ao funcionamento e manutenção dos respectivos Poderes Executivo e Legislativo municipais.

§ 4º A viabilidade sócio-ambiental e urbana deverá ser demonstrada a partir do levantamento dos passivos e potenciais impactos ambientais, a partir das seguintes informações e estimativas:

I – novos limites do Município a ser criado e da área remanescente;

II – levantamento da quantidade e tipologia das edificações existentes nas áreas urbanas;

III – levantamento das redes de abastecimento de água e cobertura sanitária;

IV – eventual crescimento demográfico;

V – eventual crescimento da produção de resíduos sólidos e efluentes;

VI – identificação do percentual da área ocupada por áreas protegidas ou de destinação específica, tais como unidades de conservação, áreas indígenas, quilombolas ou militares.

§ 5º Os dados demográficos constantes dos Estudos de Viabilidade Municipal serão considerados em relação ao último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

§ 6º Os demais dados constantes dos Estudos de Viabilidade Municipal deverão ser fornecidos pelos órgãos municipais, estaduais e federais de planejamento, fazenda, estatística e meio-ambiente, além de outros cuja competência ou área de atuação demandem sua participação.

§ 7º Não será permitida a criação de Município se a medida resultar, para o Município pré-existente, na perda dos requisitos estabelecidos no caput.

Art. 4º. Os Estudos de Viabilidade Municipal serão publicados no órgão de imprensa oficial do Estado, a partir do que se abrirá prazo de 60 (sessenta) dias para sua impugnação, por qualquer interessado, pessoa física ou jurídica, perante a Assembléia Legislativa.

§ 1º O sítio na internet da Assembléia Legislativa disponibilizará os Estudos de Viabilidade Municipal para conhecimento público, durante o prazo previsto no caput.

§ 2º Será realizada pelo menos uma audiência pública em cada um dos núcleos urbanos envolvidos no processo, durante o prazo previsto no caput.

Art. 5º. Encerrado o prazo do art. 4º, a Assembléia Legislativa deliberará sobre os Estudos e suas impugnações, na forma de seu regimento interno, devendo decidir pela impugnação ou homologação.

Art. 6º. Homologado o Estudo a que se refere o art. 3º, comprovando a viabilidade, a Assembléia Legislativa autorizará a realização de plebiscito em consulta à totalidade da população do Município pré-existente, inclusive da área a ser emancipada.

Art. 7º. Aprovada em plebiscito a criação, a Assembléia Legislativa votará a lei respectiva.

Art. 8º. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

PLENÁRIO NAGIB HAICKEL, 19 de ABRIL de 2011.

Arnaldo Melo
Presidente
Hélio Soares
Primeiro-Secretário
Jota Pinto
Segundo-Secretário
.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: COMEÇAM AS PRIMEIRAS REUNIÕES COM PRETENSAS ÁREAS EMANCIPANDAS NO AMAZONAS

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: COMEÇAM AS PRIMEIRAS REUNIÕES COM PRETENSAS ÁREAS EMANCIPANDAS NO AMAZONAS

COMEÇAM AS PRIMEIRAS REUNIÕES COM PRETENSAS ÁREAS EMANCIPANDAS NO AMAZONAS

A comissão que vai propor a cri­ação de novos mu­nicí­pios no Ama­zonas, con­seguiu re­alizar sua primeira re­união sob a presidência do dep­utado Tony Medeiros. Há pro­postas in­ter­es­santes como a cri­ação de um ter­ritório, in­teira­mente, indí­gena - o de Umariaçu, desmem­brado de Ta­batinga, além de outros novos mu­nicí­pios como Vila Amazônia, em Par­intins; Bal­bina, em Pres­i­dente Figueiredo; Ca­viana, em Manaca­puru, e Cacau-Pirera do Rio Negro. Temos que lembrar que para o estado do Amazonas a criação de novos municípios se faz muito importante para o desenvolvimento do estado e para segurar o êxodo rural para as grandes cidades, como Manaus, que concentra mais da metade da população de todo estado.

terça-feira, 26 de abril de 2011

ENCLAVES E EXCLAVES: O BRASIL POSSUI OS DOIS

O que é um Enclave?

Na geografia política, um enclave é um território cujas fronteiras geográficas ficam inteiramente dentro dos limites de um outro território.


Temos algum enclave dentro da área territorial do Brasil?


Sim. Na verdade existem 4 municípios que são enclaves.

Quais os municípios Brasileiros que São Enclaves?

No estado do Rio Grande do Sul temos o município de Arroio do Padre, que após sua emancipação ficou totalmente cercado por terras do município de Pelotas.
No estado de São Paulo Temos o município de Águas de São pedro, totalmente cercado por terras do município de São Pedro.
No Estado do Mato Grosso do Sul temos o município de Ladário, totalmente cercado por terras do município de Corumbá.
No estado de Goiás temos o município de Portelândia, totalmente cercado por terras do município de Mineiros.


Foto de Arroio do Padre







O que é um Exclave?

Um exclave, por outro lado, é um território legal ou politicamente ligado a outro território ao qual não está fisicamente contíguo. Há exclaves nacionais e exlcaves internacionais.



Exclaves em portugal
Em Portugal, em consequência das reformas administrativas durante o século XIX (1830, e 1850, e também, embora como menor extensão em 1890), não há nenhum enclave subnacional mas apenas quatro exclaves subnacionais persistem no nível municipal:

Montijo, dividido em 8 freguesias, 3 das quais são afastadas 20 quilómetros para leste das outras 5. A parte principal do município, ou seja a parte ocidental do seu território (sede municipal, e onde a maioria dos seus habitantes) é cinco vezes menor que a parte restante. Para ir da parte ocidental à oriental, é necessário atravessar pelo território que pertencem aos municípios de Alcochete e de Palmela, ou pelo menos pelo de Palmela.
Oliveira de Frades, dividido em 12 freguesias, 2 a sudeste separadas alguns quilómetros da divisória principal. Para ir da área principal ao exclave é necessário atravessar através do território que pertence ao município de Vouzela.
Vila Real de Santo António, dividido em 3 freguesias, uma afastada alguns quilómetros a oeste das outras duas. A área principal, ou seja a zona oriental do território (sede municipal e onde está a maioria dos habitantes), é mais de três vezes menor que a outra parte. Para ir da zona oriental à ocidental, atravessa-se pelo território que pertence ao município de Castro Marim, ou ir pelo mar, pois todas as 3 freguesias fazerem fronteira com o Oceano Atlântico ao sul.
Soure, cujo território da freguesia de Pombalinho está devido em duas partes, dado que o lugar de Casas Novas está separado do resto do território da freguesia e concelho.

Há algum exclave no Brasil?


Sim, atualmente o município de Senador José Porfírio, no estado do Pará, com a emancipação do município de Anapu, que o partiu a área territorial em duas partes criou um exclave (a área do distrito de Ilha da Fazenda pertence a Senador José porfírio, mas não tem nenhuma divisa territorial com o município-mãe, pois para chegar a ele tem que passar pela área territorial de Anapu).

segunda-feira, 25 de abril de 2011

MESSEJANA QUER SE SEPARAR DE FORTALEZA

O bairro de Messejana tenta entrar com pedido de emancipação na ALECE.









Se o Bairro de Messejana e os bairros adjacentes que seriam incluidos no processo de emancipação, a cidade de Fortalze perderia 40% do seu território atual, sendo que o então município de Messejana seria o segundo mais populoso do estado do Ceará. É esperar para ver no no vai dar...

domingo, 24 de abril de 2011

SYRACUSE- ESTADO DE NEW YORK- USA

Syracuse, também chamada por vezes de Siracusa, é uma cidade do Estado americano de New york. Localiza-se no centro do Estado, às margens do Lago Onondaga, no condado do mesmo nome. Sua área é de 66,4 km² e sua população é de 147.710 habitantes, com mais de 740 mil em sua região metropolitana (segundo o censo nacional de 2010). Foi fundada em 1786.
















Tom Cruise (Thomas Cruise Mapother IV), ator norte-americano, nasceu em Syracuse a 3 de Julho de 1962



sábado, 23 de abril de 2011

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: ILHA ELLESMERE - NUNAVUT - CANADÁ

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: ILHA ELLESMERE - NUNAVUT - CANADÁ

ILHA ELLESMERE - NUNAVUT - CANADÁ

















A ilha Ellesmere faz parte da Região Qikiqtaaluk do território Canadense de Nunavut . Deitada no Arquipélago Ártico Canadense é considerado parte do Arquipelago Rainha Elizabeth , sendo Cabo Columbia sendo o ponto mais setentrional da terra no Canadá. Compreende uma área de 196,235 km², tornando-a a décima maior ilha do mundo ea terceira maior ilha do Canadá . A Cordilheira do Ártico é sistema montanhoso cobre grande parte da ilha de Ellesmere, tornando-a mais montanhosa do arquipélago ártico canadense. Os salgueiros do Ártico é a única espécie lenhosa que crescem na Ilha Ellesmere.




História

Os primeiros habitantes humanos da ilha de Ellesmere foram pequenos bandos de inuits que iam à caça do caribu Peary , boi-almiscarado , e de mamíferos marinhos da caça sobre 2000-1000 aC. Como foi o caso do povo Dorset (ou Palaeoeskimo), caçadores e os Neoeskimos, a cultura Inuit Thule usou a peninsula de Bache, uma região mais agradável da ilha Ellesmere para se estabelecerem. Foi a última região do Alto Ártico canadense a ser evacuada durante a " Pequena Idade do Gelo ", que atesta a sua importância econômica em geral, como parte da esfera da cultura de que era uma parte e, ocasionalmente, às vezes, o componente principal de povoamento.

Vikings da Gronelândia visitaram a ilha Ellesmere, durante expedições de caça e comércio com os grupos Inuit. Estruturas incomuns na península Bache podem ser os restos de um período muito tardio da cultura Dorset, onde aparecem ruinas de uma casa de pedra.

O primeiro europeu a avistar a ilha após o auge da " Pequena Idade do Gelo "foi William Baffin. A Ilha Ellesmere foi nomeada em 1852 pela expedição de Edward Inglefield, em homenagem a Francis Egerton, primeiro conde de Ellesmere . A expedição americana liderada por Adolphus Greely , em 1881, atravessou a ilha de leste a oeste. A expedição encontrou em suas jornadas florestas-fósseis em Ellesmere no final dos anos 1880. A região de Stenkul Fiord foi explorada em 1902 por Per Schei, um membro da expedição de Otto Sverdrup, a Expedição Polar Norueguesa.

A Camada de gelo de Ellesmere foi documentada pela britânica Arctic Expedition de 1875-76, em que o tenente Pelham Aldrich s partido passou pelo Cabo Sheridan (82 ° 28'N 61 ° 30'W/ N ° 82.467 ° W 61,5 / 82.467; -61,5 ( Cabo Sheridan (Ilha Ellesmere) ) oeste), pelo Cabo Alert (82 ° 16'N 85 ° 33'W/ 82.267 N ° 85,55 ° W / 82.267; -85,55 ( Cabo Alert (Ilha Ellesmere) ) ), incluindo a plataforma de gelo Ward Hunt . Em 1906, Robert Peary liderou uma expedição no norte de Ellesmere , a partir de Cabo Sheridan ao longo da costa para o lado ocidental da Nansen Sound (93 ° W). Durante a expedição de Peary, a plataforma de gelo foi estudada, uma estimativa moderna é que ela abrange 8,900 km².

Geografia

Áreas protegidas

Mais de um quinto da ilha é protegida como Quttinirpaaq National Park (ex-Ellesmere Island National Park Reserve), que inclui sete fiordes e uma variedade de geleiras , assim como o Lago Hazen , o maior da América do lago ao norte do Círculo Polar Ártico .O pico Barbeau, a montanha mais alta em Nunavut (2.616 m ) está localizada na Cordilheira Império Britânico, na Ilha Ellesmere. A maior cordilheira ao norte do mundo, a Cordilheira Challenger , está localizada na região nordeste da ilha. O lado norte da ilha é chamada Terra de Grant .

Em julho de 2007, um estudo observou o desaparecimento do habitat para aves aquáticas, invertebrados e algas na Ilha Ellesmere. De acordo com John P. Smol de Queen's University em Kingston, Ontário , e SV Marianne Douglas da Universidade de Alberta em Edmonton , as condições de aquecimento e evaporação causaram baixos níveis de água e mudanças na química das lagoas e zonas húmidas da região.

As geleiras e calotas polares

Grandes áreas da ilha de Ellesmere são cobertas com glaciares e do gelo, com Manson Icefield e Sydkap no sul; Príncipe de Gales Icefield e Ice Cap Agassiz ao longo do lado leste-central da ilha, junto com a cobertura de gelo substanciais no Norte Ilha Ellesmere. A costa noroeste da ilha de Ellesmere é coberta por uma massa, de 500 km de comprimento. A prateleira de gelo de Ellesmere foi reduzida em 90 por cento no século XX devido ao aquecimento global , deixando-a separar algumas áreas como: Alfred Ernest , Ayles, Milne, Ward Hunt, e Markham onde existiam plataformas de gelo. Um estudo de 1986, de plataformas de gelo canadense descobriu-se que 48 km² 3,3 km³ de gelo sumiram das plataformas de Milne e Ayles, entre 1959 e 1974. A banquisa Ward Hunt, a maior parte remanescente da grossa camada de gelo marinho ao longo da costa norte da Ilha Ellesmere, perdeu 600 km de gelo em uma parte maciça em 1961-1962. Além disso, diminuiu 27% em espessura (13 m ) entre 1967 e 1999.

A quebra do gelo das montanhas de Ellesmere continuou no século 21: a plataforma de gelo Ward experimentou uma ruptura importante durante o verão de 2002, o Ayles Ice Shelf foi separado inteiramente em 13 de agosto de 2005, a maior separação de uma plataforma de gelo em 25 anos,que pode representar uma ameaça para a indústria de petróleo no Mar de Beaufort . Em abril de 2008, foi descoberto que o Ward Hunt foi fraturado em dezenas de pedaços, multi-facetadas rachaduras e, em setembro de 2008, a plataforma Markham (50 km²) se rompeu completamente para se tornar parte flutuante do gelo do mar.

Paleontologia

Schei e depois Nathorst descreveram o Paleoceno - Eoceno, florestas fósseis no fiorde Stenkul. O Stenkul Fiord representa uma série de deltas, brejos e várzeas. As árvores tinham pelo menos 400 anos. Prdaços tocos e caules de 3 m de diâmetro eram abundantes, e são identificados como Metasequoia e possivelmente Glyptostrobus .

Em 2006, pela Universidade de Chicago o paleontólogo Neil Shubin H. relatou a descoberta do fóssil de um Paleozóico (ca. 375 Ma), peixe, chamado Tiktaalik roseae , nos antigos leitos da Ilha Ellesmere. O fóssil apresenta características de muitos peixes, mas também indica uma transição de uma criatura que pode ser um predecessor de anfíbios , répteis , aves e mamíferos , incluindo humanos .

Ecologia de Insetos

AIlha Ellesmere é conhecida como sendo a ocorrência mais setentrional dos insetos eussociais, especificamente, o zangão polaris Bombus . Há uma segunda espécie de abelha que lá ocorrem, hyperboreus Bombus , que é um parasita nos ninhos de B. polaris.


População



Grise Fiord

















Eureka



Em 2006, a população da Ilha Ellesmere foi registrada como 146. Há três assentamentos na ilha de Ellesmere: o de ALERT (pop. 5), o de EUREKA (pop permanente. 0, mas o lar de uma população temporária), e GRISE FIORD (pop. 141). Politicamente, é parte da Região Qikiqtaaluk .

A Canadian Forces Station (CFS) em Alert é o assentamento mais setentrional do mundo. Com o fim da Guerra Fria eo advento de novas tecnologias, permitindo a interpretação remota de dados, a população de Inverno foi reduzida para 50.

Eureka, que é o assentamento mais setentrional em segundo lugar no mundo, consiste em três áreas: " Eureka aeródromo ", que inclui" Forte Eureka "(os quartos para pessoal militar manter equipamentos de comunicação na ilha"), a Estação meteorológica e do Polar Ambiental Atmosférica Laboratório de Pesquisa (Pérola)e formalmente o observatório Ártico de ozônio estratosférico (Astro) .

sexta-feira, 22 de abril de 2011

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: MUNICIPALIDADES E BANDEIRAS NOS TERRITÓRIOS DO NOROESTE (NORTHWEST TERRITORIES) - CANADÁ

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: MUNICIPALIDADES E BANDEIRAS NOS TERRITÓRIOS DO NOROESTE (NORTHWEST TERRITORIES) - CANADÁ

MUNICIPALIDADES E BANDEIRAS NOS TERRITÓRIOS DO NOROESTE (NORTHWEST TERRITORIES) - CANADÁ

AKLAVIK (594 hab.) (significado do nome "Lugar de solo estéril")













BEHCHOKO (1.894 HAB.)












COLVILLE LAKE (126 HAB.) ( K'áhbamítúé na lingua nativa)












DÉLINE (525 HAB.) (significado do nome: "Onde há fluxo das águas")












DETTAH (247 HAB.) (significado do nome: "Cabo Queimado")

Mapa não localizado



ENTERPRISE (97 HAB.) (Significado do nome: do inglês "Empresa")













FORT GOOD HOPE (557 hab.) (nome em Sahtu Dene: K'asho Got'ine
)












FORT LIARD (583 hab.) (nome na linguagem Dene: "Echaot'l Koe" que significa "Povo da Terra dos Gigantes")












FORT McPHERSON (776 HAB.) (na linguagem Gwich'in "Teet'lit Zheh"
que significa "na cabeceira das águas")












FORT PROVIDENCE (727 hab.) (na linguagem Slavey "Zhahti Koe"
que significa "Casa da Missão")












FORT RESOLUTION (484 hab.) (na linguagem Slavey "Deninoo Kue"
que significa "ilha do Alce")












FORT SIMPSON (1.216 hab.) (na linguagem slavey " Liidli Kue", que significa "lugar onde os rios se encontram")












FORT SMITH (2.364 hab.) (na linguagem Chipewyan "Thebacha"
, o que significa "ao lado das corredeiras")












GAMÈTI (283 hab.) (na linguagem Tlicho significa "Lago do Coelho")












HAY RIVER (3.648 hab.) ( na linguagem Chipewyan "Xáta'odehchee"
, que significa "Rio do Feno")












INUVIK (3.484 hab.) (Que em inuvialun significa "Cidade do Homem")












JEAN MARIE RIVER (81 hab.) ("Tthek'éhdéli", que significa "água que flui sobre a argila")













KAKISA (52 hab.) (em slavey "K'agee", que significa "entre Salgueiros")


BANDEIRA NÃO ENCONTRADA



LUTSELK'E (318 hab.) (que em chipewyan significa "lugar do Lutsel (Pequeno peixe)")












NAHANNI BUTTE (115 hab.) (na linguagem slavey "Tthenáágó",que significa "Rocha Forte")












NORMAN WELLS (761 hab.) (na linguagem slavey "Tłegǫ́hłı", que significa "onde há petróleo")













PAULATUK (294 HAB.) (que em Siglitun significa "Lugar do Carvão")












SACHS HARBOUR (122 hab.) ( em inuavilun "Ikahuak", que significa "por onde você vai")












TROUT LAKE (86 hab.) (na linguagem slavey "Sambaa K'e", que significa "Lago da Truta")


BANDEIRA NÃO ENCONTRADA



TSIIGEHTCHIC (175 hab.) (que em Gwich'in significa "Boca do Rio de Ferro")














TULITA (505 hab.) (Que em sahtu Dene significa "onde os rios e águas se encontram")












TUKTOYAKTUK (870 hab.) (que em inuvialuktun significa "onde aparecem os Caribus")












ULUKHAKTOK (398 HAB.)(Que na linguagem inuvialuktun significa "lugar onde as peças ulus são encontradas")












WEKWEETI (137 HAB.) (que na linguagem drogib significa "Lagos das Rochas")













WHATI (460 hab.) (que na linguagem dogrib significa " Lagos Marten")












YELLOWKNIFE (18.700 hab.) (na linguagem dogrib "Somba K'e", que significa "onde está o ouro")


quinta-feira, 21 de abril de 2011

OUT SKERRIES - ILHAS SHETLAND - REINO UNIDO

Os Out Skerries são um arquipélago das ilhas Shetland, na Escócia, situada a leste da principal ilha do grupo de Shetland. Localmente, são geralmente chamados apenas Skerries. POSSUEM 4 KM²



Geografia


Out Skerries situam-se cerca de quatro milhas a nordeste de Whalsay e Bound Skerry constitui a parte mais oriental da Escócia, encontrando-se 320 km da N






oruega. As principais ilhas são Housay, Bruray e Grunay.


Um grande número de ilhas e ilhotas cercam o grupo principal. Estes incluem os Hevda Skerries e Wetther Holm para o norte, o Holm para o sul e Lamba Skerrie e Flat Stack para o leste. Stoura Stack ea Hogg ficam ao sul de Grunay. Bound Skerry, que tem um farol, é ladeada por Little Bound Skerry e Skerry Horn.

Além de Mio Ness, na ponta sudoeste da Housay situam-se no Norte eo Sul Benelip eo Skerries Páscoa, bem como Filla, Curta e Longa Guen (o Guens), Bilia Skerry e Swaba Stack. Em um grupo isolado entre os principais Out Skerries eo Continente, são Little Skerry e Vongs e Muckle Skerry mais ao norte.

Etimologia

A maioria dos nomes dos skerries tem uma origem nórdica. O nome "Out" deriva de uma ou ambas de duas palavras Old Norse. Austr significa "leste" e pode ter sido usada para distinguir Out Skerries de Ve Skerries ou "skerries oeste", e utsker significa "exterior". "Skerry" é a partir do sker nórdico antigo e se refere a uma pequena ilha rochosa ou um recife rochoso.

Housay é do Old Norse Húsey significa "ilha cavalo", embora este nome é hoje pouco utilizado pelos moradores locais, que preferem "West Ilha". Bruray podem ser do nórdico Bru e significa "ilha da ponte", devido à sua posição entre o Ocidente e a ilha Grunay, o último significando simplesmente "ilha verde". A derivação de Bound Skerry é mais problemática, mas pode ser de Bonn, que significa "precursor", uma referência a este ser a terra do primeiro encontro de um navio a caminho de Shetland de Bergen.


História

os primeiros indícios de povoamento neolítico, incluindo dois locais em Queyness . Pund é um retângulo de 13 metros marcado por rochas que datam da Idade do Bronze. É semelhante a uma estrutura em Hjaltadans em Fetlar, mas seu objetivo é desconhecido.

Há uma grande estrutura em ruínas na costa norte de Grunay conhecido localmente como "o broch", embora não se sabe se ela remonta à Idade do Ferro, quando tais estruturas foram construídas em todo o extremo norte da Escócia. O nome "Benelips" possivelmente provenientes do significado do Velho bon Norse "para rezar" sugere a existência de uma ermida cristã sobre estas ilhotas remotas.

Dey (1991) especula que o folclore do Trows Trolls, e talvez a do selkie pode ser baseado em parte na invasão nórdica das Ilhas do Norte. Ela afirma que a conquista pelos vikings enviados os indígenas, pictos de cabelos escuros para se esconder e que "existem muitas histórias de Shetland dessas pessoas estranhas, menor e mais escuro que o alto, louro Vikings que, tendo sido expulsos de suas terras para o mar cavernas, surgiram durante a noite para roubar os proprietários de terras novas. " O rochedo de Trollsholm e sua fenda de Trolli podem indicar a presença do folclore em Out Skerries .

Out Skerries ter sido habitada permanentemente a partir do período Norse.

Há uma série de naufrágios ao redor das ilhas inclui os navios holandeses Kemmerland (1664) e De Leifde (1711) e North Wind (1906), que estava transportando a madeira que foi recuperado e usado pelos ilhéus para as suas casas .Foram encontrados destroços de alguns navios que transportavam ouro do ouro em 1960.

Devido à sua natureza remota e áspera, os ilhéus foram acusados ​​de contrabando e destruição.


II Guerra Mundial

Situados tão perto da Noruega, as ilhas foram de importância estratégica na II Guerra Mundial e foram um landfall regular para barcos noruegueses levando fugitivos da ocupação nazista. A Guarda Costeira local foram responsáveis ​​para os refugiados e em um ponto durante a guerra foram emitidos com uma metralhadora, apesar de inicialmente ninguém sabia como usá-lo. aviões alemães frequentemente sobrevoou a baixa altitude, metralhando o Grunay estação terrestre farol em 1941 e soltando uma bomba em 1942. O último ataque matou Mary Anderson, a única vítima da guerra locais e Grunay foi evacuado pouco depois. Um mês depois, um bombardeiro brasileiro caiu na Grunay e em 1990, uma placa foi criada para comemorar este evento. Durante a guerra, um ofício foi enviado em segredo para o local sub-postmistress com as instruções que ele seja aberto no caso de uma invasão alemã. Após a guerra ele foi devolvido, fechado.

População

A população do Skerries Fora é de 76 habitantes, e vivem totalmente em Housay e Bruray, que são ligadas por uma ponte. A população é de cerca de metade do que era em meados do século 19.

Economia

O solo nas ilhas é fino e infértil, mas é empilhada em Riggs, para melhor cultivo de batatas, cenouras e suecos . Ovinicultura ainda ocorre, mas é muito menos importante do que era antes. O Turismo, por outro lado aumentou.


As ilhas possuem uma escola primária e secundária, duas lojas, uma fábrica de processamento de pescado, uma pista de pouso, e uma igreja e uma delegacia. O ensino secundário é o menor no Reino Unido, em 2010, a escola tinha apenas três alunos. A principal indústria nas ilhas é a pesca. Há uma igreja em Housay.

Há pouco de turfa no Skerries, assim os moradores foram concedidos direitos de cortar em Whalsay.

A Ponte Skerries, que liga a Bruray Housay foi construída em 1957, substituindo a primeira ponte construída em 1899 .

Há cerca de um quilômetro de estradas, ao longo do qual vive boa parte da população.

Há um ferry para as ilhas de Vidlin e Lerwick.

AS REMOTAS ILHAS SAINT KILDA - REINO UNIDO












O arquipélago de St Kilda (gaélico escocês: Hiort), no Atlântico Norte perto das Hébridas, fica no limite exterior das Ilhas Britânicas. O arquipélago pertence na sua totalidade ao National Trust for Scotland. O sítio Património Mundial de St Kilda cobre uma área terrestre de 8 km², para um total de 225 km² incluindo ambiente marinho.


Crê-se que o nome St Kilda derive da palavra norueguesa antiga skildir, que significa "escudos". Uma marca num mapa antigo teria transformado "Skilda" em "S.kilda", e assim nasceu um santo.

Geografia

Hirta é a maior ilha do grupo, seguida de Soay (2 km a noroeste de Hirta) e Boreray (6 km a nordeste de Hirta); existem algumas ilhotas bem mais pequenas como Dun, Levinish, Stac Lee e Stac an Armin. A única povoação em St Kilda localizava-se em Hirta e chamava-se Village Bay (gaélico escocês: Bàgh a' Bhaile).


Stac Lee
O arquipélago de St Kilda é o local com os mais espectaculares penhascos marítimos das ilhas Britânicas. O ponto mais alto do arquipélago é Conachair (430 m). A face norte de Conachair é um rochedo vertical de mais de 300 metros, caindo a pique até ao mar. Boreray atinge 384 m; Soay 378 m; Stac An Armin 196 m; Stac Lee 172 m.

História

St Kilda tem sido habitada de forma contínua desde tempos pré-históricos, mas a população diminuiu devido à emigração para os Estados Unidos e Austrália. As doenças também tiveram o seu papel: entre 1830 e 1843 a mortalidade infantil elevou-se a 80% por tétano devido a negligência das parteiras, e um grande surto de gripe em 1913. A 29 de Agosto de 1930, os últimos 36 habitantes foram evacuados, a seu pedido, para a parte escocesa da Grã-Bretanha.
Hoje em dia não existem habitantes permanentes, mas Hirta encontra-se ocupada durante todo o ano por funcionários da base militar (praticamente todos civis), e por cientistas que investigam a população selvagem de Ovelhas de Soay.
O arquipélago constitui território de nidificação para muitas espécies de aves marinhas como o Ganso-patola (Morus bassanus) (a maior colônia do mundo), o Papagaio-do-mar Fratercula arctica e o Painho-de-cauda-forcada Oceanodroma leucorhoa. A pequena ilha de Dun possui a maior colônia de Fulmares Fulmarus glacialis das ilhas Britânicas. Para além disso, existe uma subespécie de Carriça (Troglodytes troglodytes hirtensis) endêmica de St Kilda.

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: A REMOTA ILHA DE FOULA - REINO UNIDO

CONEXÃO EMANCIPACIONISTA: A REMOTA ILHA DE FOULA - REINO UNIDO

A REMOTA ILHA DE FOULA - REINO UNIDO






Foula é uma ilha desoladora, mas espectacular, no Oceano Atlântico, 20 quilômetros a oeste de Shetland. A ilha tem cerca de 4.0 km de 5,6 km, com baixas faixas costeiras ao longo do lado leste. Com uma área de 12,65 km², é o sétimo maior e mais ocidental das Ilhas Shetland. Ele nasce de baixo rochedos quebrados, no leste de precipitada de 150 a 365m falésias a oeste. A ilha tem cinco picos, chegando a 418m no The Sneug e 376m no The Kame. No extremo norte Gaada Stack é um arco natural. Foula situa-se na mesma latitude de São Petersburgo.

Foula tem uma população de 31 pessoas, que vivem em Hametown e Ham. Os habitantes anteriormente viviam da pesca do primeiro peixe de carne branca, e lagosta. Hoje, a maioria dos ilhéus teem o rendimento do gado ovino e turismo ornitológico.

Num recife escondido, o "Hoevdi Grund 'ou o Shaalds terrível" de Foula', fica um pouco mais de 3 km a leste de Foula entre o continente e a ilha de Shetland. O recife vem a poucos metros da superfície, e representa uma grande ameaça à navegação.


História

Em 1490, as propriedades da família Ciske foram divididas e Vaila e Foula se tornaram propriedades de Alv Knutsson. No entanto, o Ciskes eram noruegueses, e como a Escócia tinha anexado Shetland algumas décadas antes, as alegações de propriedade eram confusas e contraditórias.

Foula permaneceu usando o calendário juliano, quando o resto do Reino Unido adotou o calendário gregoriano em 1752. Como resultado, Foula é agora um dia à frente do calendário juliano e 12 dias atrás do gregoriano, observando-se o dia de Natal em 6 de janeiro e o Ano Novo em 13 de janeiro.

Em 1720, uma epidemia de varíola atingiu as 200 pessoas que vivem com Foula. Como os ilhéus ficaram tão isolados do resto do mundo, não tinham imunidade, ao contrário da maioria dos povos do norte da Europa naquela época. Noventa por cento da população da ilha morreram na epidemia.

O escritor e jornalista John Sands viveu Foula e Papa Stour por um tempo durante o século XIX. Ele lutou contra o sistema vigente chamado de Truck System em que os operários da ilha ao invés de ganharem salários recebiam apenas mercadorias e criou charges satirizando suas deficiências. Em uma ele chamou Foula como uma mulher bela e jovem, sendo estrangulada na qual havia um rótulo 'latifúndio' vigiado por outros répteis chamados 'missionário', 'latifundiário' e 'truck'.

A ilha foi também um dos últimos lugares onde Norn foi utilizado como primeira língua, sendo o dialeto local fortemente influenciado pelas línguas nórdicas. Além de ser o último lugar na Escócia, onde a Lei Udal foi usada.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

LOS ANGELES - CALIFÓRNIA - ESTADOS UNIDOS


















Los Angeles (forma em inglês de Los Ángeles, espanhol para "Os Anjos") é a segunda maior cidade dos Estados Unidos e com uma população de 3.792.621 habitantes é a maior cidade do estado da Califórnia e do oeste dos Estados Unidos. Além disso, a cidade se estende por 1.290,6 km² no sul da Califórnia e é classificada como a 13ª maior área metropolitana do mundo, com 17,7 milhões de pessoas espalhadas por grande parte do litoral sul da Califórnia. A área metropolitana Los Angeles-Long Beach-Santa Ana abriga cerca de 12 874 797 habitantes. Los Angeles é também a sede do condado de Los Angeles, o mais populoso e um dos condados mais multiculturais dos Estados Unidos. Os habitantes da cidade são referidos como "Angelenos".
























Los Angeles foi fundada em 4 de setembro de 1781, pelo governador espanhol Felipe de Neve como El Pueblo de Nuestra Señora la Reina de los Angeles del Río de Porciúncula (A Vila de Nossa Senhora, Rainha dos Anjos do Rio de Porciúncula).Tornou-se parte do México, em 1821, após sua independência da Espanha. Em 1848, no final da Guerra Mexicano-Americana, Los Angeles e o resto da Califórnia foram adquiridos como parte do Tratado de Guadalupe Hidalgo, tornando-se parte dos Estados Unidos, o México manteve o território de Baja California. Los Angeles foi incorporado como município em 4 de abril de 1850, cinco meses antes da Califórnia tornar-se um estado estadunidense.

Muitas vezes, conhecida por suas iniciais, "LA", e apelidada de "Cidade dos Anjos", Los Angeles é um centro mundial de negócios, comércio internacional, entretenimento, cultura, mídia, moda, ciência, tecnologia e educação. É o lar de instituições de renome cobrindo um vasto leque de campos profissionais e culturais e é um dos motores mais importantes da economia dos Estados Unidos. Em 2008, Los Angeles foi classificada a oitava cidade mais economicamente poderosa do mundo pela Forbes.com, terceira nos E.U.A., atrás apenas de Nova York e Chicago. Como a sede de Hollywood, é conhecida como a "Capital Mundial do Entretenimento", a líder mundial na criação de filmes, produção de televisão, videogames e música gravada. A importância do setor de entretenimento para a cidade levou muitas celebridades à Los Angeles e seus subúrbios.











História

Nativos americanos viviam anteriormente na região, antes da chegada dos primeiros exploradores europeus. Entre as tribos, a tribo shoshone possuía uma aldeia chamada Yang-na, localizada onde está atualmente o centro de Los Angeles, ao longo do Rio Los Angeles.

Em 1542, o explorador português João Rodrigues Cabrilho, explorando a costa oeste da América do Norte, em nome da coroa espanhola, descobriu a vila de Yang-na, e foi amigavelmente recebido por nativos. Cabrilho anotou a localização da aldeia indígena e continuou sua exploração. Até 1769, a região fora esquecida, por 227 anos, quando Gaspar de Portolá, um capitão da força militar espanhola, e Juan Crespi, um missionário espanhol, lideraram uma expedição partindo de San Diego para Monterey Bay. Eventualmente, o grupo chegaria à vila de Yang-na, onde Crespi escrevera no seu diário que o local onde ficava a aldeia indígena era um "lugar maravilhoso", e que tinha todas as condições necessárias para um grande assentamento. Gaspar e Crespi nomearam a cidade de Nuestra Señora la Reina de Los Ángeles de Porciúncula.

Colonização espanhola

Os espanhóis logo começaram o povoamento da região, onde está atualmente Los Angeles. Primeiramente, em 1771, os espanhóis fundaram Missión San Gabriel Arcángel, um pequeno centro religioso, oito quilômetros a leste dos atuais limites municipais de Los Angeles. San Gabriel acabou por se tornar um importante centro agropecuário, cultural e religioso, e o mais importante de outros oito assentamentos criados pelos espanhóis ao longo da atual Califórnia.

Depois da construção de San Gabriel, Felipe de Neve, o governador espanhol da Califórnia escolheu o lugar descrito como "maravilhoso" por Crespi para a construção de uma nova cidade. Soldados foram enviados por Felipe para o México, com ordens de oferecer dinheiro, terra livre, animais e equipamentos para as pessoas que quisessem mudar-se para a nova cidade a ser criada.

Em 4 de setembro de 1781, um grupo de 44 pessoas - 11 homens, 11 mulheres e 22 crianças, com dois espanhóis no grupo, sendo o restante predominantemente afro-americanos, com alguns nativos americanos e descendentes de dois ou mais grupos étnico-raciais - chegaram na região descrita por Crespi. Este grupo havia saído em fevereiro de 1781. Ao chegarem, eles fundaram oficialmente El Pueblo de Nuestra Señora Reina de los Ángeles de la Porciuncula. Los Angeles é atualmente a única grande cidade americana a ter sido fundada por um grupo de assentadores predominantemente formado por afro-americanos.

Em 1800, Los Angeles tinha cerca de 315 habitantes, e de uma comunidade agrária, a cidade passou a ser um centro pecuário. Os espanhóis criaram gigantescos lotes de terra, que eram vendidos a criadores. Estes lotes abrigavam milhares de bovinos e cavalos.


























Era mexicana

Em 1821, México tornou-se independente da Espanha. Os mexicanos tomaram controle de toda a Califórnia, e a cidade de Los Angeles passou para controle espanhol. Los Angeles e Monterey alternaram-se como a capital do territorio mexicano de Alta Califórnia.

Em 1826, Jedediah Smith chegou a Los Angeles. Ele foi a primeira pessoa a chegar à cidade vindo da costa atlântica. Em 1841, assentadores americanos começaram gradualmente a morar na Califórnia, muitos dos quais decidiram instalar-se na cidade de Los Angeles. Mesmo assim, os hispânicos continuaram em maioria na cidade.

Em maio de 1846, os Estados Unidos e o México entraram em guerra. Em agosto do mesmo ano, tropas americanas capturaram Los Angeles. Porém, uma grande rebelião popular contra os americanos desenvolveu-se entre a população hispânica da cidade, e as tropas americanas recuaram. Em janeiro de 1847, Los Angeles foi capturada definitivamente pelos americanos. Tendo sido derrotados, os mexicanos assinaram o Tratado de Guadalupe Hidalgo, em 1848, que cedia a Califórnia aos Estados Unidos.

1850 - 1900


Em 4 de abril de 1850, Los Angeles foi elevada à categoria de cidade, e cinco meses mais tarde, a Califórnia tornaria-se o 31º Estado dos Estados Unidos. Los Angeles, então, tinha cerca de 1,6 mil habitantes e 73 km², sendo que sua população cresceu lentamente nas próximas duas décadas. Muitos dos antigos proprietários de lotes agropecuários faliram, por causa da burocracia existente no processo de confirmação de propriedade por parte da justiça americana.

Alguns mexicanos resistiram à presença americana. Em 1856, Juán Flores liderou uma grande revolta popular na cidade, o que arriscava o sul californiano. Ele acabou sendo enforcado, à frente de um público de mais de três mil espectadores. Outro mexicano famoso foi Tiburcio Vasquez, famoso entre a população hispânica, por seus feitos contra os gringos. Capturado em West Hollywood, ele foi considerado culpado de dois assassínios em 1874, e enforcado em 1875.

A Chinatown de Los Angeles foi palco de uma revolta popular em 1871. Uma briga entre duas gangues chinesas resultou na morte de uma pessoa branca. Isto enfureceu a população branca da cidade, e um contingente de 500 brancos dirigiram-se à Chinatown da cidade, matando 19 homens e meninos de origem chinesa, dos quais somente um estava envolvido na morte da pessoa branca. O contingente também matou outra pessoa branca que tentou proteger essas 19 pessoas. Casas e estabelecimentos comerciais chineses foram assaltados. Um julgamento procedeu, mas apenas uma pessoa do contingente de 500 serviu algum tempo na prisão.


Poços de petróleo, em Los Angeles, em 1896.Em 1876, uma ferrovia foi construída entre Los Angeles e São Francisco, o que forneceu a Los Angeles acesso ao resto do país via São Francisco. Outra ferrovia, ligando Los Angeles ao leste americano via Atchison, Topeka e Santa Fé foi completada em 1885, o que gerou grande concorrência entre as diferentes companhias que administravam a ferrovia Los Angeles-San Francisco e a ferrovia Los Angeles-Atchison. Ambas as companhas começaram a baixar os preços da passagem de ida para a cidade, o que gerou um fluxo cada vez maior de pessoas vindas do resto dos Estados Unidos para Los Angeles. A tarifa eventualmente chegou a um mínimo de um dólar, e trens lotados de passageiros vindos do interior e do leste americano chegavam a Los Angeles diariamente. Esta concorrência também tornou Los Angeles um grande centro portuário, com produtos procedentes do interior dos Estados Unidos sendo despachados para o exterior via o porto de Los Angeles. Com tudo isto acontecendo, a população da cidade de Los Angeles cresceu dramaticamente, chegando a 50 mil habitantes em 1890 e dobrando em apenas dez anos, chegando a 100 mil na chegada do século XX.

1900 - 1950

Graduais anexações de cidades vizinhas a Los Angeles fizeram com que Los Angeles lentamente crescesse em tamanho nos anos que se seguiram a 1890. Em 1910, quando a cidade de Hollywood foi fundida com a cidade de Los Angeles, esta passou a ter 233 km².

Uma gigantesca baía portuária foi construída entre 1889 e 1913. E bem no ano de sua inauguração, em 1913, o Canal de Panamá havia sido inaugurado. Los Angeles tornou-se o principal centro portuário do oeste do continente americano rapidamente. Los Angeles continuava a crescer, agora, alimentada pela indústria do petróleo, que havia sido encontrada pela primeira vez na cidade em 1892.

Porém, a falta de fontes de água potável ameaçava o futuro de Los Angeles. Com a população da cidade em grande crescimento, temia-se que logo a única fonte de água potável de Los Angeles até então, o Rio Los Angeles, não seria mais suficiente para atender à crescente demanda de água potável usada pela população em crescimento. A fonte de água potável mais próxima de Los Angeles ficava a 250 km da cidade, no Rio Owens, que desemboca no Lago Owens, onde evapora. Entre 1899 a 1903, Harrison Gray Otis adquiriu fazendas e propriedades que ficavam na área do Rio e do Lago Owens Também planejava-se a construção do aqueduto que transportaria essa água para a cidade.

Em julho de 1905, o Los Angeles Times publicara que os habitantes da cidade não teriam mais nenhuma água disponível, a não ser que eles comprassem papéis do governo, para o financiamento da construção do aqueduto. Água potável distribuída pelo sistema de água foi desviada para o sistema de esgoto da cidade, diminuindo a quantidade de água potável disponível, e criando condições de seca artificiais. Pessoas foram proibidas de regar seus jardins. Em um dia de eleições, os habitantes da cidade aceitaram que 22,5 milhões de dólares fossem investidos na construção do aqueduto. Com este dinheiro, e também graças a uma lei federal recém aprovada, que permitia a cidades a adquisição de propriedades fora de seus limites municipais, permitiu a Los Angeles comprar as terras adquiridas por Gray Otis. O aqueduto foi inaugurado en 1913, e garantiu de vez o fornecimento de água potável para os habitantes da cidade, bem como triplicou a área de Los Angeles, que passou a ter 1 165 km² (atualmente, Los Angeles possui 1.290,6 km²).

Por volta de 1920, o turismo havia tornado-se em um grande negócio em Los Angeles. Um clima agradável, com temperaturas altas ou amenas durante quase todo o ano, atraíram (e continuam a atrair nos dias atuais) milhares de turistas. Muitos deles gostaram tanto da cidade e do seu clima que decidiram ficar de vez em Los Angeles. Nestes tempos, a indústria petroleira da cidade crescia cada vez mais, com o crescente número de reservas de petróleo sendo descobertas. Com tudo isto, fábricas instalaram-se aos montes na cidade, produzindo produtos industrializados como aviões, móveis, pneus e outros produtos.

Ainda na década de 1920, Los Angeles implementou uma lei que restringia a aquisição de residências por afro-americanos, mexicanos, asiáticos e judeus, permitindo que pessoas de grupos étnico-raciais pudessem adquirir e morar em uma residência apenas em certos bairros da cidade.

Com a Grande Depressão, as condições sócio-econômicas de Los Angeles caíram drasticamente, à medida que milhares de pessoas eram demitidas de seus trabalhos. Houve falência em massa de inúmeros estabelecimentos comerciais e industriais, o que agravava ainda mais a crise. Porém, a população da cidade continuava a crescer rapidamente, uma vez que milhares de pessoas desempregadas, vindas de todas as partes do país, iam a Los Angeles com a esperança de encontrar um emprego. A economia da cidade apenas voltaria a crescer quando os Estados Unidos entraram na Segunda Guerra Mundial, lutando ao lado dos Aliados. Fábricas e portos produziam armas, unidades militares e outros equipamentos usados pela forças militares americanas, empregando a maior parte da força de trabalho que até então estava desempregada devido aos efeitos da Grande Depressão; este crescimento continuou a atrair mais pessoas a Los Angeles, a maioria, vindas do interior do país. No final da guerra, Los Angeles tinha cerca de 1,5 milhão de habitantes, e era a terceira maior cidade dos Estados Unidos.

1950 - 1990

Prefeitura de Los Angeles, mostrada aqui em 1931, foi construída em 1928 e foi a mais alta estrutura da cidade até 1964, quando as restrições de altura foram removidas.Na década de 1950, Los Angeles já era um dos principais centros industriais e comerciais dos Estados Unidos. Depois de Detroit, Los Angeles fabricava mais carros do que qualquer outra cidade americana; depois de Akron, era a maior fabricante de pneus do país; e depois de Nova Iorque, era o maior centro americano de manufaturação de roupas.

Uma lei que propusera limites para a altura máxima de prédios a serem construídos na cidade foi rejeitada em 6 de novembro de 1961. Isto, mais a contraditória renovação urbana no bairro de Bunker Hill (pitoresca, mas decadente), culminou na construção de vários arranha-céus em Los Angeles, desde então até a década de 1990.

Diversas vias expressas foram construídas a partir da década de 1940, conectando Los Angeles com seus subúrbios. O pequeno e ineficiente sistema de transporte público da cidade (centralizada em um sistema ferroviário de passageiros, e algumas linhas de bondes e light rail) foi desativada na década de 1950 (pressionada pela General Motors), o que tornou Los Angeles uma cidade voltada para o carro.

Com mais fábricas sendo construídas e mais carros transitando nas vias públicas de Los Angeles, a poluição atmosférica tornou-se um sério problema em Los Angeles, especialmente em dias com poucos ou nenhum vento, onde a poluição gerada por fábricas e veículos acaba acumulando-se próximo ao solo, causando a formação de smog.

Em 1989, um novo plano diretor, com extensão de 20 anos, foi implementado na cidade, cujo objetivo era reduzir os altos níveis de poluição atmosférica na cidade. Nesta mesma década, foi construído um sistema de metrô e de light rail, em uma tentativa de diminuir os constantementes congestionamentos que ocorrem nas auto-estradas da cidade, e diminuir a poluição atmosférica gerado por veículos.


O centro de Los Angeles presenciou um forte desenvolvimento nas décadas de 1980 e 1990, incluindo a construção de alguns dos mais altos arranha-céus da cidade.

1990 - Tempos atuais

A década de 1990 foi marcada por intensos conflitos raciais, agravada pela opressão policial. O incidente mais conhecido é o de Rodney King, um motorista afro-americano, que foi parado por quatro policiais na cidade, em 3 de março de 1991. Os policiais espancaram King, que sofreu graves ferimentos. Os policiais foram indiciados, mas nenhum deles foi condenado, mesmo com as provas do crime tendo sido gravadas em um vídeo. O processo fora realizado em um subúrbio branco de Los Angeles, e todos os jurados eram brancos. O veredito do processo resultou em um grande motim popular nas ruas da cidade, especialmente em bairros afro-americanos. Como resultado, 53 pessoas morreram, 2,4 mil pessoas ficaram feridas e houve-se mais de um bilhão de dólares em danos. Os policiais foram processados novamente em 1993. Dois deles foram condenados a dois anos de prisão, e os outros dois, absolvidos. A prefeitura de Los Angeles depois seria condenada a pagar uma indenização de 3,75 milhões de dólares para Rodney King.

Geografia

Los Angeles está localizada no sudoeste dos Estados Unidos, e no sudoeste do Estado americano de Califórnia, na costa do Oceano Pacífico. Situa-se a aproximadamente 560 km sul da cidade de San Francisco e a 210 quilômetros nordeste de San Diego e da fronteira mexicana.

Com uma área total de 1 290,6 km², Los Angeles atualmente é uma das maiores cidades americanas em área, embora no início do século XX, a cidade tinha apenas uma pequena fração da área atual. Os limites municipais de Los Angeles cresceram com a gradual anexação de cidades vizinhas, como Hollywood, San Pedro, Van Nuys e Westwood, atualmente, distritos da cidade de Los Angeles.

A maior distância entre dois pontos norte-sul em Los Angeles é de 71 quilômetros, e a maior entre dois pontos leste-oeste é de 44 quilômetros. São cerca de 550 km em fronteiras municipais com outras cidades vizinhas. De sua área de 1.290,6 km², 1 214,9 km² ficam em terra firme, e 75,7 km² em corpos de água. O ponto mais elevado da cidade é o Monte Irmã Elsie (Sister Elsie Peak, em inglês), que possui uma altitude de aproximadamente 1 680 metros. Localizada num terreno bastante acidentado, a altitude média de Los Angeles é de 84 metros, estando a um mínimo de 0 metros nas praias de Santa Ana, e a um máximo de 1 680 metros (no monte Irmã Elsie).

Os terremotos são uma ameaça diária em Los Angeles. O passado sísmico da cidade não é tão trágico quanto o de San Francisco, mas, nada impede que um sismo devastador aconteça na cidade.

[Região metropolitana de Los Angeles

Los Angeles é a sede de condado do Condado de Los Angeles, o condado mais populoso dos Estados Unidos, com um total de 10 179 716 habitantes. São 88 cidades, todas parte da região metropolitana de Los Angeles, das quais dez possuem mais do que 100 mil habitantes. Long Beach, Glendale e Santa Clarita são as cidades mais populosas e importantes do condado. Muitas cidades do condado estão completamente cercadas pela cidade de Los Angeles, caso de West Hollywood 34.399 hab. e 4,9 km², Beverly Hills, 34.109 hab. e 14,7 km²e Culver City, 38883 hab. e 13,29 km². Outras estão cercadas por Los Angeles e pelo Oceano Pacífico, como Santa Mônica, 89.736 hab. e 41,2 km² , Marina del Rey, 8.340 hab. e 3,8 km² Torrance, 145.438 hab. e 54 km².

A região metropolitana de Los Angeles é composta pelos condados de Los Angeles, Riverside e Orange, que possuem quatro grandes aglomerações urbanas distintas: Los Angeles-Long Beach, Condado de Orange, Riverside-San Bernadino e o Condado de Ventura. No total, são 12.923.547 habitantes e 4 319,9 km² de área urbanizada e 12.562 km² de área total, o que torna a região metropolitana de Los Angeles a segunda mais habitada dos Estados Unidos, a terceira mais habitada da América do Norte, bem como uma das maiores do mundo.

Clima

Los Angeles possui um clima bastante agradável, em comparação a outras grandes cidades americanas. Invernos amenos e verões quentes tornam as praias de Los Angeles bastante movimentadas quase o ano inteiro. A temperatura média no inverno é de 13ºC, com mínimas entre 12 °C e 10 °C, e máximas entre 18 °C e 21 °C. A temperatura média no verão é de 23 °C, com mínimas entre 12 °C e 17 °C, e máximas entre 24 °C e 38 °C. Precipitação cai na maioria das vezes na forma de chuva, embora no inverno, algumas vezes neve na cidade. Porém, a maior parte da neve acaba derretendo rapidamente ou na atmosfera ou no solo. A taxa de precipitação média anual na cidade é de 38 cm.

As maiores temperaturas sempre são registradas nos meses de Agosto e Setembro, principalmente em ocasiões de Vento Sant'Ana, onde a umidade relativa do ar chega a ficar abaixo dos 10% por vários dias e as temperaturas até a 37 graus na cidade de Los Angeles e a mais de 41 graus nas cidades mais ao interior do estado, como Riverside e San Bernardino.

Do final do mês de Maio até meados de Julho o litoral da Califórnia vive uma situação de ventos marítimos que chegam ao continente e provocam dias de tempo muito nublado, névoa e temperaturas amenas. Nesse período, nas áreas litorâneas do Condado de Los Angeles as temperaturas máximas não ultrapassam os 20 graus e no centro da cidade elas só vão ficar acima dos 25 graus a partir de Julho.

O Inverno é a estação chuvosa, onde costuma-se registrar temperaturas mais baixas, mínimas em torno de 5 °C e máximas inferiores a 13 °C no mês de Dezembro e no começo de Janeiro. Depois disso, ventos secos predominam e aumentam as temperaturas por um bom tempo, sendo observados período de muita oscilação da temperatura, normalmente com manhãs de 8 °C e tardes de 25 °C.


Poluição


A poluição atmosférica é um dos principais problemas da cidade.O uso extensivo de veículos pela população de Los Angeles e a geografia da cidade, com montanhas cercando toda a região mais densamente habitada fazem com que a cidade sofra bastante de poluição atmosférica. Muito das emissões geradas pelos veículos acaba ficando presa, por causa das montanhas, bem como as emissões geradas pelas indústrias ali localizadas. Outro problema é a crescente contaminação dos lençóis de água localizados sob a cidade.

Terremotos

Como outras cidades localizadas na Califórnia, Los Angeles está localizada numa região altamente vulnerável a terremotos. A Califórnia é uma das regiões do mundo mais sujeitas a terremotos. Existem mais de 300 falhas geológicas no Estado. Além de estar a poucos quilômetros da zona de choque (encontro) entre a Placa do Pacífico e a Placa Norte-Americana, Los Angeles fica sobre um terreno relativamente húmido e macio, o que aumenta a vulnerabilidade das estruturas ali instaladas em um caso de um grande terremoto.

O terremoto mais recente foi o Terremoto de Northridge, ocorrido em 1994, que causou danos de propriedade avaliados em bilhões de dólares.

Recentemente, no dia 29 de julho de 2008, um terremoto de 5,4 graus na escala Richter pôde ser sentido de Los Angeles a San Diego. O Centro de Geologia dos Estados Unidos informou que o epicentro do sismo estava localizado a 47 km ao sudeste do centro Los Angeles, próximo de Chino Hills. Felizmente, apenas cinco pessoas ficaram feridas e foram reportados apenas pequenos danos estruturais.



População (Censo 2010)

Segundo o censo americano de 2010, Los Angeles possui uma população de 3.792.621 habitantes, 1 275 412 residências ocupadas e 798 407 famílias. A densidade populacional da cidade é de 3 041,3 hab/km². A cidade possui um total de 1 337 706 residências, que resultam em uma densidade de 1 101,1 residências/km². 46,93% da população de Los Angeles são brancos, 11,24% são afro-americanos, 9,99% são asiáticos, 0,8% são nativos americanos, 0,16% são nativos polinésios, 25,7% são de outras raças e 5,18% são descendentes de duas ou mais raças. 29,75% da população da cidade são hispânicos de qualquer raça.

Existem 1 275 412 residências ocupadas na cidade, dos quais 33,5% são ocupadas por ao menos uma criança com menos de 18 anos de idade, 41,9% são ocupadas por um casal, 14,5% são famílias com uma mulher sem marido presente como chefe de família, e 37,4% não são famílias. 28,54% de todas as residências ocupadas são ocupadas por apenas uma pessoa e 7,4% são ocupadas por uma única pessoa com 65 anos ou mais de idade. Cada residência ocupada é ocupada por 2,83 pessoas, em média; o tamanho médio de uma família é de 3,56 pessoas.

26,6% da população da cidade possui menos de 18 anos de idade, 11,1% possuem entre 18 e 24 anos, 34,1% possuem entre 25 e 44 anos, 18,6% possuem entre 45 e 64 anos, e 9,7% possuem 65 anos ou mais de idade. Para cada 100 pessoas do sexo feminino existem 99,4 pessoas do sexo masculino. Para cada 100 pessoas do sexo feminino com 18 anos de idade ou mais, existem 97,5 pessoas do sexo masculino.

A renda anual média de uma residência ocupada na cidade é de 36 687 dólares. A renda média anual da população da cidade é de 39 942 dólares. Pessoas do sexo masculino possuem uma renda anual média de 31 880 dólares, e pessoas do sexo feminino, uma renda anual média de 30 197 dólares. A renda per capita da cidade é de 20 671 dólares. 22,1% da população e 18,1% das famílias da cidade vivem abaixo da linha de pobreza. 30,3% das pessoas com 17 anos ou menos de idade e 12,6% das pessoas com 65 anos ou mais de idade vivem embaixo da linha de pobreza.

Imigrantes


Los Angeles é uma das cidades mais multiculturais do mundo, com etnias das mais variadas partes do mundo. Em especial, a população hispânica e asiática estão crescendo rapidamente, tanto que hispânicos serão maioria na cidade, caso o ritmo atual de crescimento continue. A população de asiáticos em Los Angeles é a maior dos Estados Unidos. Los Angeles possui as maiores comunidades armênia, cambojiana, filipina, guatemalteca, israelense, tailandesa, mexicana, húngara e salvadorenha fora dos respectivos países.



[Renda Média

A renda média anual de uma residência habitada de Los Angeles é de 36 687 dólares, e a renda média anual familiar é de 39 942 dólares. Homens possuem uma renda média anual de 31 880 dólares, e mulheres possuem uma renda média anual de 30 197 dólares. A renda per capita de Los Angeles é de 20 671 dólares. 22,1% da população e 18,3% das famílias vivendo em Los Angeles vivem abaixo da linha de pobreza. 30,3% dos habitantes vivendo abaixo da linha de pobreza são menores de idade e 12,6% são idosos.

Política

PLos Angeles é a administrada por um prefeito e por um Conselho composto de 15 membros, um de cada um dos 15 distritos de Los Angeles. O prefeito é eleito pelos eleitores da cidade para mandatos de até quatro anos de duração. Os eleitores de cada um dos distritos elegem um representante para o Conselho da cidade, para mandatos de até quatro anos de duração. Outros oficiais são diretamente escolhidos pelo prefeito, como um posto encarregado de administrar o sistema judiciário da cidade e garantir que as leis da cidade sejam cumpridas pelos habitantes da cidade.

O governo municipal de Los Angeles têm mostrado-se ineficiente em algumas áreas, o que fez com que os distritos de Hollywood e Vale de San Fernando buscassem independência em 2002, embora não tendo sucesso, alegando que a municipalidade de Los Angeles prefere concentrar sua atenção em áreas mais densamente povoadas da cidade, como o centro da cidade, negligenciando áreas de menor densidade populacional. Para tornar mais efetiva o governo municipal, o Conselho municipal de Los Angeles têm promovido a formação de Conselhos regionais, tendo sido proposto em 1996 e aprovado em 1999.


Economia


Arranha-céus do centro financeiro da cidade.Los Angeles é o maior centro industrial dos Estados Unidos, e o maior centro de finanças e comércio do oeste americano. Ao contrário de outras grandes cidades americanas como Chicago, Detroit e Nova Iorque, que presenciaram a mudança de uma parte substancial de suas indústrias para outras partes do país ou do mundo, o número de postos de trabalho fornecidos pela indústria e comércio têm somente crescido desde o final da Segunda Guerra Mundial. Embora Los Angeles presenciara a queda da indústria automobilística na década de 1990, outras indústrias instalaram-se ou expandiram, como a indústria aero-espacial.

Comércio e finanças

Los Angeles é o segundo maior centro financeiro dos Estados Unidos, e o maior do oeste americano. Três grandes bancos, dez companhias de empréstimos e 70 companhias de empréstimos usam Los Angeles como seu quartel-general de operações.

Milhões de turistas visitam Los Angeles atualmente, atraídos pelas suas praias, seu clima e outras atrações turísticas.

Manufatura


Los Angeles é o maior centro industrial dos Estados Unidos. Suas 25 mil fábricas fornecem aproximadamente 30% dos postos de trabalho dentro dos limites municipais. Uma das principais indústrias de Los Angeles é a indústria aero-espacial. A cidade possui várias fábricas que fabricam peças ou partes de aviões, bem como sondas espaciais e foguetes. Esta forte indústria atrai muitos engenheiros, matemáticos, físicos e cientistas, mais do que qualquer outra cidade americana. A Boeing possui várias fábricas em Los Angeles e na cidade vizinha de Long Beach.

Apesar disto, Los Angeles é mais conhecida pelos seus filmes, a maioria deles, produzidos no bairro mundialmente famoso de Hollywood. A indústria da produção de filmes chegou a seu máximo na década de 1940. Desde então, as companhias produtoras de filmes reduziram o número de filmes produzidos anualmente, preferindo concentrar-se na qualidade dos filmes produzidos. Isto fez com que postos de trabalhos fossem diminuídos e pessoas fossem demitidas. Mesmo assim, esta é uma forte indústria, que gera muitos postos diretos e indiretos de empregos, e é mais uma atração turística da cidade.

Los Angeles possui vários depósitos de petróleo no seu sub-solo. A indústria do petróleo é forte em Los Angeles desde o final da década de 1880, quando os primeiros poços foram escavados. Los Angeles é um dos maiores produtores de petróleo bruto, derivados de petróleo e equipamentos usados pela indústria petroleira dos Estados Unidos.

A indústria automobilística era uma das âncoras da cidade até a década de 1980. Todas as fábricas de manufaturação de veículos foram fechadas nesta década ou na década seguinte.

Outras importantes indústrias de Los Angeles incluem a produção de roupas, móveis, computadores, softwares, borracha e pneus, bem como produtos químicos, eletrônicos, produtos de vidro e cerâmica, ferro e aço, brinquedos e a pesca.


Infra-estrutura

Mídia


.Los Angeles possui dois jornais diários: o Los Angeles Times e o La Opinión (esta última voltada para a população hispânica), bem como outros 40 jornais comunitários de menor circulação, que publicam seus materiais em inglês, espanhol ou outros idiomas, e estão voltadas para uma certa etnia da cidade; e 100 jornais regionais semanais. O Los Angeles Times possui uma circulação diária de mais de um milhão de cópias.

Centenas de revistas são impressas e publicadas em Los Angeles. Uma delas é a Los Angeles Magazine, que publica reportagens de interesse geral sobre a área da cidade. Outras revistas estão especializadas em certas matérias como surfing, skating, por exemplo.

Dez estações de televisão público, outras tantas estações de TV a cabo, e mais de 75 estações de rádio estão localizadas em Los Angeles. A cidade abriga os quartéis-generais de duas grandes companhias de televisão americanas, a FOX e a UPN. Outras grandes redes de televisão americana como a ABC e a CBS produzem muitos de seus programas em Los Angeles.

A indústria de telecomunicações crescera desde a década de 1940, e absorveu em grande parte a queda dos números de postos de trabalhos oferecidos pela indústria cinematográfica, ocorrida a partir da década de 1940.

Educação

Educação superior

Universidade da Califórnia em Los Angeles.O principal câmpus da Universidade de Califórnia está localizado em Los Angeles. A cidade possui outras duas universidades de grande porte; dois câmpus da Universidade do Estado de Califórnia e a Universidade do Sul da Califórnia, entre outras universidades e faculdades de menor porte.

Escolas

O sistema de escolas públicas de Los Angeles, administrada pela Los Angeles Unified School District (LAUSD), um distrito escolar, é o segundo maior dos Estados Unidos, menor apenas do que o sistema escolar público de Nova Iorque. A LAUSD não somente administra as escolas localizadas dentro dos limites municipais de Los Angeles, bem como escolas de outras cidades vizinhas. A área de responsabilidade da LAUSD é de 1 840 quilômetros. São cerca de 795 mil estudantes estudando em 900 escolas. A LAUSD é administrada pela Board of Education, um Conselho formado por sete membros eleitos pelos habitantes da cidade para mandatos de quatro anos.

A LAUSD têm recebido verbas insuficientes desde o final da década de 1960, à medida que o número de crianças e adolescentes estudando no sistema escolar aumentara mais que do que a receita da companhia. Uma das principais fontes de renda da LAUSD eram impostos de terreno e propriedades localizadas próximos às escolas controladas pela LAUSD. Com uma lei, aprovada em 1978, que cortava esses impostos, a LAUSD passou a depender de ajuda do governo da Califórnia, uma vez que as verbas fornecidas diretamente pela municipalidade de Los Angeles não aumentaram significantemente. Professores foram demitidos, o horário das classes foram diminuídas e mais alunos foram colocados por classe, e muitas escolas da cidade estão em péssimo estado. Recentemente, a LAUSD organizou um programa de construção em massa de escolas, pela cidade, em uma tentativa de diminuir a lotação de escolas já existentes.

Cerca de 60 mil estudantes estudam em 225 diferentes escolas privadas ou em escolas católicas. Ao contrário de outras grandes cidades americanas ou canadenses, o sistema católico de ensino não recebe verbas do município, recebendo verbas diretamente do governo da Califórnia.

Bibliotecas

Biblioteca Central de Los Angeles.O sistema de bibliotecas públicas de Los Angeles possui cerca de seis milhões de volumes, uma das maiores coleções dos Estados Unidos. Este sistema administra bibliotecas espalhadas ao longo da cidade, bem como um sistema de book mobiles, veículos que transportam material literário em diversas áreas mais isoladas de Los Angeles, bem como alguns de seus subúrbios. Vários museus também possuem bibliotecas que são de livre acesso para o público em geral.

Transportes

Transporte público

Mapa da rede atual do Metrô de Los Angeles, incluindo linhas existentes e em construção.O sistema de transporte público de Los Angeles é administrada pela Metropolitan Transportation Authority, que administra uma malha de rotas de ônibus, uma linha de metrô, e três linhas de light rail e ferrovias em todo o Condado de Los Angeles. O sistema ferroviário e linhas de ônibus ligam Los Angeles com suas cidades vizinhas. A linha de metrô de Los Angeles, auxiliado por três de light rail, é totalmente insuficiente para atender à gigantesca população de Los Angeles, uma das principais razões para o uso extensivo de carros por grande parte dos habitantes da cidade como meio principal de locomoção.

A cidade possuía algumas linhas de bondes e de metrô antes da década de 1960, mas todas elas foram fechadas na década de 1960, quando a prefeitura da cidade foi pressionada pela General Motors a fazê-lo assim. Isto ocorreu em outras cidades americanas, como Detroit e Cleveland, por exemplo, por interesses econômicos. Outro sistema ferroviário, separado das ferrovias controladas pela MTA, atende passageiros que viajam entre o condado de Los Angeles e cidades localizadas em condados vizinhos. Este sistema chama-se Metrolink.

Vias expressas e auto-estradas

Uma das auto-estradas de Los Angeles.A maior parte dos habitantes da região metropolitana de Los Angeles usa o carro como meio principal de locomoção. Muitos habitantes de subúrbios e bairros percorrem longas distâncias até o centro financeiro da cidade. Como resultado, Los Angeles possui o maior sistema de Vias expressas e auto-estradas do mundo. Este sistema é uma malha de 1,080 km de auto-estradas de vias de alta velocidade, que cortam toda a região metropolitana de Los Angeles. Mesmo assim, o grande tráfego de veículos de manhã e de tarde (pessoas indo e vindo do trabalho) fazem com que boa parte desse sistema esteja congestionada durante estes horários.

Ferrovias

Los Angeles dispõe de uma grande malha ferroviária, que opera à parte das ferrovias controladas pela MTA e pela Metrolink. Duas principais ferrovias, a Burlington Northern Santa Fe e a Union Pacific, servem a cidade, conectando-a com o resto dos Estados Unidos. Trens de passageiros usam a Union Station, localizado próximo ao centro da cidade.


Aeroportos

Em Los Angeles está localizado o quinto aeroporto mais movimentado do mundo, o Aeroporto Internacional de Los Angeles, que movimentou cerca de 55 milhões de passageiros e 2 milhões de toneladas de carga em 2004. Este aeroporto serve como escalas de voos procedentes de outras cidades do continente americano e da Europa, cujo destino final são cidades localizadas na Ásia.

Outros quatro aeroportos servem a região metropolitana de Los Angeles: o Aeroporto Internacional de Ontário, localizado na cidade vizinha de Ontário, o Aeroporto Internacional John Wayne, o Aeroporto Bob Hope e o Aeroporto Van Nuys, este último, o aeroporto de aviação geral mais movimentada do mundo.


Vista da Vincent Thomas Bridge na Terminal Island.[editar] Portos
Vista da Ponte Vincent Thomas.A região metropolitana de Los Angeles possui dois grandes terminais portuários: o Porto de Los Angeles e o Porto de Long Beach, que juntos, formam o terceiro centro portuário mais movimentado do mundo, e movimentando mais carga do que qualquer outra cidade americana. O Porto de Los Angeles está localizada na Baía de São Pedro, no distrito de São Pedro, a cerca de 30 quilômetros ao sul do centro da cidade. O porto ocupa uma área de 30 km², incluindo terreno e água, além de 69 Km de cais. Está localizado junto ao Porto de Long Beach.

Os portos de Los Angeles e Long Beach juntos compõem o Porto de Los Angeles - Long Beach. Outros portos menores, não-industriais, estão localizados ao longo da costa de Los Angeles, a maioria deles, como Redondo Beach e Marina del Rey, são utilizados por veleiros e iates.

O porto inclui quatro pontes: Ponte Vincent Thomas, Henry Ford, Gerald Desmond e Comodoro Schuyler F. Heim.

Esportes e Recreação

Dodger Stadium, casa do Los Angeles Dodgers.O clima agradável de Los Angeles e sua localização geográfica permitem a prática de surfe em uma das várias praias da cidade, e esquiar em nas montanhas localizadas nos recantos da cidade, em um mesmo dia, durante quase todo o ano. Los Angeles tem cerca de 121 quilômetros de praias ao longo da costa do Oceano Pacífico, e suas montanhas, localizadas ao nordeste da cidade, possuem condições favoráveis à prática de esqui, canoagem e golfe o ano inteiro. Los Angeles tem cerca de 210 parques, playgrounds e outras facilidades recreacionais.

Dois times de basquete masculino estão sediadas em Los Angeles: o Los Angeles Lakers e o Los Angeles Clippers, bem como um time de basquete feminino, o Los Angeles Sparks. Outros times importantes de Los Angeles são o Los Angeles Kings, um time de hóquei no gelo, o Club Deportivo Chivas USA e o Los Angeles Galaxy, times de futebol, o Los Angeles Dodgers, time de beisebol, e o Los Angeles Avengers, time de futebol americano de arena, AFL.

Los Angeles é o lugar de nascimento do Vôlei de praia e do windsurf, bem como a do skate. Skate in-line popularizou-se em Los Angeles. Los Angeles sediou os Jogos Olímpicos de Verão de 1932 e de 1984.